segunda-feira, 21 de fevereiro de 2011


Um kit ternura

* Por Flora Figueiredo

Trouxe para você
Um kit ternura.
Vem composto
De um beijo molhado e aquecido
No ponto ideal.
Para não causar resfriado
Nem queimadura de terceiro grau.
Uma mordiscada
Para ser usada por perto da nuca,
De preferência sempre perfumada;
Um sussurro na orelha,
No lado de trás,
Onde o arrepio se satisfaz;
Um abraço tão justo, tão justo,
Que o coração pode levar um susto
Com medo de ser atropelado;
Um carinho tão preciso
Que lhe faça desvestir o juízo,
E de tal habilidade,
Que, a cada recaída minha
De infidelidade,
Possa servir como abono.
Um aviso
Para ser colado à testa
E em toda festa que você tiver:
'Tem dono'.

• Poetisa, cronista, compositora e tradutora, autora de “O trem que traz a noite”, “Chão de vento”, “Calçada de verão”, “Limão Rosa”, “Amor a céu aberto” e “Florescência”; rima, ritmo e bom-humor são características da sua poesia. Deixa evidente sua intimidade com o mundo, abraçando o cotidiano com vitalidade e graça - às vezes romântica, às vezes irreverente e turbulenta. Sempre dentro de uma linguagem concisa e simples, plena de sutileza verbal, seus poemas são como um mergulho profundo nas águas da vida.

Um comentário:

  1. A poesia é linda, mas o aviso cai por terra
    quase sempre...
    Abraços

    ResponderExcluir