quinta-feira, 22 de setembro de 2016

É Primavera

* Por Pedro J. Bondaczuk


É Primavera
de tardes e manhãs amenas
e de dilúvios de luz.

Os menestréis,
embriagados de aromas,
entoam monocórdias canções,
mantras de sagração da beleza.

Os poetas
descem das torres de marfim
e tecem tapetes de estrelas
para delicados pés não-profanos.

Os jardineiros
apuram mágicos enxertos
no afã de gerar, ansiosos,
insólita rosa azul de sonhos.

Os namorados
depuram paradoxais emoções,
para fundir sentimentos e carne,
na multiplicação da vida.

Os pregoeiros
anunciam quinquilharias
com vozes tonitruantes
que se misturam às brisas.

O mundo adquire cores,
os sentimentos, intensidade,
os jardins multiplicam flores,
e os corações, saudades.

É tempo de ações e urgências,
sem qualquer delonga ou espera,
das memórias e reminiscências,
porquanto... é Primavera!!!

(Poema composto em Campinas, em 25 de agosto de 2007).


* Jornalista, radialista e escritor. Trabalhou na Rádio Educadora de Campinas (atual Bandeirantes Campinas), em 1981 e 1982. Foi editor do Diário do Povo e do Correio Popular onde, entre outras funções, foi crítico de arte. Em equipe, ganhou o Prêmio Esso de 1997, no Correio Popular. Autor dos livros “Por uma nova utopia” (ensaios políticos) e “Quadros de Natal” (contos), além de “Lance Fatal” (contos), “Cronos & Narciso” (crônicas), “Antologia” – maio de 1991 a maio de 1996. Publicações da Academia Campinense de Letras nº 49 (edição comemorativa do 40º aniversário), página 74 e “Antologia” – maio de 1996 a maio de 2001. Publicações da Academia Campinense de Letras nº 53, página 54. Blog “O Escrevinhador” – http://pedrobondaczuk.blogspot.com. Twitter:@bondaczuk

Um comentário:

  1. "É Primavera, vai chuva". Muito bom para começar a estação.

    ResponderExcluir