segunda-feira, 24 de março de 2014

Convenção

* Por Núbia Araujo Nonato do Amaral

Sei escrever difícil não, o senhor vai me perdoar. Sentimento moço? Gosto de quem gosta de mim, o resto eu passo adiante. Poesia? Danou-se! Sei nem o que é. Dia desses li umas que faziam rimas, minha amiga me explicou.

Prestei atenção, eu juro pro senhor, mas não tenho pretensão não... Sou o que sou! Se digo que amo, há redenção, se anuncio o meu perdão, o senhor creia, é de coração.

De resto, seu moço, sigo na lida, deixo a tal da convenção para os que sabem mentir.

 * Poetisa, contista, cronista e colunista do Literário


Um comentário:

  1. Sinceridade pura e linguagem autêntica de quem sabe o que diz.

    ResponderExcluir