terça-feira, 25 de julho de 2017

Duo com o vento


* Por Evelyne Furtado


Pisei nas flores que brotaram do teu canto
Não vi as cores do mundo
Escondi-me em mim
A dor é egoísta, sim.
Nada me importava além do que sentia
Só o lamento do vento
Entrando pela fresta da janela
E me arrepiando os pelos
Dias sombrios vivi.
Hoje não sinto o seu perfume
Que a distância não me permite sentir
Mas vejo do céu, o azul
Recebo o calor do sol
E o vento é bem-vindo
Faço um duo com ele
Para você me ouvir.



* Poetisa, cronista e psicóloga de Natal/RN.

Um comentário:

  1. Só mesmo o vento para nos substituir e levar esse recado tão doloroso.

    ResponderExcluir