quinta-feira, 30 de maio de 2013

Coração

Por Gustavo do Carmo

Cara e Coração
Ele viu a cara e o coração. Acabou de retirar o órgão de um cadáver na aula de anatomia.

@@@

Corintiano
— Doutor, eu não me engano. Meu coração é corintiano. —Mas o senhor está enganado sim. O doador desse seu novo coração torcia pelo Flamengo. O paciente enfartou.

@@@

Alado
Seu coração não era alado, mas voou longe quando seu dono sofreu um grave acidente de moto.

@@@

Roubo
Ela roubou seu coração. Rendeu a equipe médica que transportava o órgão e impediu o transplante.

@@@

Coração
Guardou seu amigo no coração a sete chaves. Perdeu a chave de número 4.

@@@

Tum, Tum
— Oi, tum, tum, bate coração oi tum, o coração pode bater. Dizia o médico tentando ressuscitar o paciente com o desfibrilador.

@@@

Convencido
— Meu coração, não sei por que, bate feliz quando te vê. — É que ele sabe que eu vou tratar bem dele. Disse o cardiologista convencido.

@@@

Explode Coração
Não deu mais pra segurar. Seu coração explodiu e ele morreu de ataque cardíaco.

@@@

Dor
Sentiu uma dor no coração. Não perdeu nenhuma amada ou ente querido. O poeta estava tendo um enfarte.

@@@

Dono
— Meu coração tem dono. É de um pedreiro lá de Santarém. Disse a celebridade esnobe, que recebeu um coração transplantado.

* Jornalista e publicitário de formação e escritor de coração. Publicou o romance “Notícias que Marcam” pela Giz Editorial (de São Paulo-SP) e a coletânea “Indecisos - Entre outros contos” pela Editora Multifoco/Selo Redondezas - RJ. Seu  blog, “Tudo cultural” - www.tudocultural.blogspot.com é bastante freqüentado por leitores


Um comentário:

  1. É possível fazer adaptações de versos inesquecíveis e com humor.

    ResponderExcluir