quinta-feira, 18 de março de 2010




Caderno existencial

* Por Wesley Peres

E depois do entre lâmina e água, o nada
cala esse algum observador de ventos;
deserta-o para nem dizê-lo, para
alá-lo, nem entredizê-lo nunca.
E o quem observa só se fala em frinchas:
do nada, são palavras, as aquelas,
ou, sim, o mesmo, a plena ausência delas.

(Do livro “Rio Revoando”)

* Escritor, poeta e psicólogo goiano, autor dos livros “Casa entre vértebras” (romance), “Palimpsestos” (Poesias), “Rio Revoando” (poesias) e “Água anônima” (poesias).

Um comentário:

  1. Há palavras que ecoam
    e outras são como brisa
    leve...
    Abraços

    ResponderExcluir